Arq & construção

Arquitetura vernacular ? O que é?

Arquitetura vernacular é todo o tipo de construção em que se empregam materiais e recursos do próprio ambiente em que a edificação é executada, utilizando geralmente técnicas passadas de geração a geração. É uma arquitetura sustentável porque integra a construção com o meio ambiente, o uso de materiais orgânicos, o tipo de isolamento térmico e acústico e o tipo de projeto arquitetônico.

Dentre os exemplos de arquitetura vernacular podemos citar: as construções sobre palafitas comuns, sobretudo na região Norte do Brasil, sobre estruturas de madeira, são construídas casas, permitindo a moradia de diversas famílias sobre rios de diferentes dimensões. Na região nordeste a construção de taipas com barro e estruturas de madeiras entrelaçadas são as mais comuns.

As ocas construídas pelos índios utilizando galhos e palha retirada da floresta é também exemplo de arquitetura vernacular bem como os iglus construídos pelos esquimós, com formato arredondado e de construção simples e rápida capaz de abrigar famílias inteiras.

É importante ressaltar que este tipo de arquitetura surgiu de maneira quase instintiva, como uma forma de adaptação ao meio ambiente e aos materiais disponíveis na natureza. Suas técnicas foram se aprimorando ao longo dos séculos, e atingindo um elevado grau de aperfeiçoamento. Para os arquitetos é uma grande fonte de inspiração e aprendizado de como construir com elementos simples e naturais, proporcionando conforto e a possibilidade de convívio social. Exemplos que parecem se encaixar perfeitamente nas buscas da arquitetura sustentável de nossos tempos. E para exemplificar o projeto vencedor do Terra Award 2016, Premio Internacional de Arquitetura Contemporânea, foi uma residência familiar de 276 m² construída em Ayerbe, norte da Espanha, pela Arquiteta Angels Castellarnau Visus, em taipa de barro. Nessa obra, cuja inspiração foi às construções locais do século XX, a arquiteta usou pedra, terra e a palha representando 80% do peso da obra, todos do local. Foram usados também cal hidráulica, telhas, madeiras e lã de ovelha. As janelas foram projetadas especialmente para maior aproveitamento da luz e ventilação natural cruzada. Foi usado reaproveitamento da água da chuva e caldeira de biomassa. A arquiteta “tem levado ao limite todas as técnicas e materiais possíveis de bioconstrução para obter uma casa natural, sustentável com maior eficiência energética e comprometida socialmente com o entorno”.